terça-feira, 3 de maio de 2011

Entrevista com Ed Oliver



Ed Oliver se dedica a música desde os seus 13 anos de idade. Hoje trabalha fazendo trilha sonora e também como produtor, arranjador e professor de música. 

Produziu diversos trabalhos no meio gospel, como por exemplo: Gilson Campos (Ex-Twister), Dany Grace, Daisy Houston, Ministério Adoração e Intimidade, Quero te tocar e Cleber Barros, entre outros. 

Supergospel: Fala ae meu camarada Ed Oliver. Vamos começar perguntando qual é a informação que você gostaria que todos soubessem a seu respeito? 

Que sou um cara muito feliz por ter Jesus, por ter uma família impar que amo tanto, por ter amigos companheiros e por ser casado com uma mulher maravilhosa chamada Thais, e que antes de ser produtor ou músico, sou um cara comum que tem princípios e caráter que estão acima da profissão. 

Supergospel: Como produtor, como você avalia a evolução das produções dos CDs evangélicos no Brasil e no exterior? 

Acho que aqui as produções estão evoluindo muito bem, tanto em qualidade musical, como sonoridade. Tem pessoas ótimas que estão ocupando o seu lugar e alguns inovando. Eu acho importante dizer que cada um tem que ser você mesmo, que ninguém precisa copiar ninguém. 

O que tem um pouco ainda aqui no Brasil é o “modismo”. todo mundo quer ser Hillsong, David Quilan, Trazendo a Arca, Cassiane etc... não tenho nada contra nenhum deles, pelo contrário, os admiro por terem conquistado o seu espaço e terem imposto sua personalidade, mas cada um deve ser você mesmo! 

O produtor tem que auxiliar isso, o produtor e o Cantor precisam juntos criar uma identidade para o artista. Lá fora acho que essa questão é bem mais madura. 

Supergospel: Qual o seu setup atual em relação a instrumentos e softwares? 

No Home Studio onde costumo gravar as prés e fazer as edições uso um setup simples com o Nuendo 4 como programa de gravação, um pré válvulado da Bluetube, monitores Roland DS-50, placa M-áudio 1814, controlador Roland A-37 e microfones MXL 

Como Guitarrista uso as guitarras Fender, Gretchen e uma outra feita por Luthier. Uso também um violão da Gibson, um setup de pedais analógicos e uma Vox Tonelab SE 

Supergospel: Seu trabalho mais recente foi o álbum Dependente, da Dany Grace, lançado pela Graça Music. Como foi trabalhar com a Dany e produzir esta disco? E como é sua relação com a gravadora? 

Bom, primeiro falando da Dany, é uma relação de irmão. Antes de produzir ela, já éramos muito amigos. Sempre achei ela dona de uma voz maravilhosa e ótima interprete. Trabalhar neste disco foi demais pois tive o prazer de produzir, arranjar e fazer parte de 4 composições. 

Trabalhamos com ótimos profissionais e ótimas pessoas. Também ficou fácil porque a Dany além de ser muito talentosa é temente a Deus e aberta a opiniões. Todas as vezes que terminávamos uma gravação saiamos do estúdio rindo e contente com o resultado sem estresse. 

Com relação a Graça Music, é uma ótima gravadora, com princípios verdadeiramente cristãos, onde as pessoas lá levam a coisa a sério. A Ana Porto tem feito um excelente trabalho. É ótimo e sempre um prazer trabalhar com eles. 

Supergospel: Existe algum conceito por trás da concepção dos arranjos? Que tipo de concepção musical você quis passar nesta produção da Dany? 

Sim. É um conceito de música pop, porém com algumas variações. A intenção foi fazer melodias fáceis para que a igreja pudesse cantar e na parte instrumental tem bastante cordas e looping, deixamos também a batera e baixo correrem mais soltos e optamos por uma linha de guitarra um pouco mais suja. 

Supergospel: No ano passado houve uma polêmica por causa de uma participação do Leonardo Gonçalves em um show do Ed Motta. Você tem alguma opinião formada sobre esse tipo fato em que nossa tradição faz separação entre música secular e música gospel? 

Não... Música é música! Atualmente não faço trabalhos seculares por opção, mas não tenho nada contra e nada me impede, acho que cada um é cada um. 

Acho que se deve ter um cuidado com o “ambiente” de onde você está, para não ser contaminado, mas isso não é só na música. é em relação a tudo. Acho que se você é contra música secular, você também não pode ouvir e não se esqueça que os comerciais de tv e filmes também tem música. 

Supergospel: Um cd é lançado hoje e quase que de forma simultânea, o mesmo já esta disponível na internet para download. Isso sem falarmos nos cds piratas vendidos nas ruas e esquinas da cidade. Qual a sua opinião em relação a esse "mercado cinza" ? Você acha que as gravadoras estariam realizando investimentos mais ousados se não houvesse essa atividade paralela? 

Olha, se as gravadoras estariam investindo mais eu não sei, mas acho que as gravadoras tem que se adequar ao mercado e vender os downloads mais baratos que os cds. Lá fora isso já funciona e acho que aqui tem que se expandir mais, apesar de reconhecer que é difícil 

Supergospel: Nos seus momentos de lazer, o que você costuma ouvir? Musicalmente falando, o que te influenciou e o que te influencia hoje? 

Nossa essa é difícil hein! Rs! Se você vier aqui no meu Home vai tomar um susto em ver quantos cds de músicas tenho aqui. Eu ouço muita coisa, mas vou citar três cantores que estou ouvindo atualmente: Anthony Evans, Matt Wertz e Joan Rosário, além da banda Lady Antebellum. 

Supergospel: E em relação aos produtores? Tanto aqui, quanto lá fora, quais produtores te influenciaram e quais te influenciam? 

Nossa são muitos, mas pra dizer a verdade álbuns me influenciam mais do que produtores. Já ouvi coisas que adorei de um produtor e outra que não gostei e até acho isso normal, até porque se o produtor for bom e o cantor ou o repertório for ruim, o cd vai ficar ruim com um bom arranjo. Quando o conjunto da certo ai sim me influencia. 

Supergospel: A cada dia vemos crescer o uso de meios eletrônicos, como o Twitter, o MySpace, Orkut, Youtube, entre outros, para divulgação do trabalho. O que você acha dessas novas opções de mídia? 

São ótimas. A internet é o meio mais incrível para conhecimento e relacionamento a distância. Com ela a comunicação não tem fronteiras, tem gente que me procura porque me viu no you tube, tem gente que eu conheci por causa do orkut e outros que nunca conheci pessoalmente mais nos conversamos através do twitter. 

Inclusive, aproveitando a oportunidade, pra quem quiser bater um papo meu twiter é @edoliver_music. 

Enfim, hoje um dono de gravadora pode conhecer alguém muito talentoso através da Internet e etc... é um meio fantástico. 

Supergospel: Se você tivesse que escolher dois conselhos para dar aos produtores - um na área musical e outra na área espiritual - que conselhos você daria? 

Na área musical: crie uma identidade para o cantor, auxilie ele e trabalhe junto com ele. O trabalho vai ter a mão do produtor, mas tem que ter a cara do cantor. 

Na área Espiritual: não se iluda com o que este mundo oferece, não vale a pena. Procure uma Igreja séria com as coisas de Deus e seja pastoreado. Nós que trabalhamos com música pecamos muito neste sentido. Ás vezes trabalhamos muito e fazemos muitos eventos e quase não temos tempo para sermos ministrados. Isso faz diferença. 

Supergospel: Para encerrar, quais são os seus projetos e o que você espera no ano de 2011 para o seu ministério? 

Estou fazendo um site, onde além de mostrar alguns de meus trabalhos, também terá a intenção de auxiliar os músicos e produtores que querem gravar e ainda não tem experiência. Espero que a galera curta pois vai ser muito bacana. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você gostou deste artigo poste um comentário!

Observações:
1º) Somente usuários com conta no Google poderão publicar seus comentários aqui no Blog do SM@rtiN.
2º) Todos os comentários serão avaliados pelo administrador do blog para posterior publicação.
3º) Os textos com conteúdo impróprio, ofensas e palavrões serão automaticamente excluídos. Se houver reincidência, o acesso do usuário ao blog será bloqueado.

Obrigado!